Estresse no ambiente do trabalho: descubra sobre a síndrome de Burnout

Estresse no ambiente do trabalho: descubra sobre a síndrome de Burnout

Você já se sentiu exausto no seu local de trabalho? Ou melhor, já sentiu que todos os esforços que você faz nunca é o suficiente para dar conta de tudo? Esses são alguns dos sintomas da síndrome de Burnout. Mas calma que vou explicar o que é isso ao longo do texto.

Em janeiro deste ano, a OMS (Organização Mundial de Saúde) reconheceu a síndrome de Burnout como um fenômeno ocupacional, o que significa que esse tipo de estresse não se aplica em outras áreas da vida fora dos ambientes profissionais.

Apesar desse reconhecimento ter chegado somente agora, o Ministério da Saúde já havia reconhecido a síndrome como condição relacionada ao trabalho ainda em 1999.

Síndrome de Burnout

Exaustão é um dos sintomas da síndrome de Burnout

Mas você deve estar se perguntando o que é isso? Para ser mais sucinto trata-se de um distúrbio emocional causado pelo estresse crônico no ambiente de trabalho e é desencadeada em situações de exaustão extrema ou de esgotamento do profissional. 

Essa exaustão também pode levar a pessoa a ter uma percepção negativa e até mesmo antipática sobre seu trabalho. Muitas vezes, o mal-estar chega ao ponto de interferir na produtividade do trabalhador, e isso é um sinal de que ele pode sofrer uma crise de Burnout.

Sintomas da síndrome

Se você estiver com alguns dos sintomas que serão mencionados abaixo, procure um profissional da saúde para fazer uma avaliação e receber as orientações necessárias.

  • Sentimento crítico ou de cinismo em relação ao trabalho;
  • Dificuldade para começar uma tarefa ou procrastinação durante o seu desempenho;
  • Irritação com membros da equipe de trabalho ou com clientes da empresa;
  • Falta de energia e produtividade;
  • Dificuldade de se concentrar ou falta de interesse;
  • Insatisfação com o próprio desempenho;
  • Baixa autoestima;
  • Compulsão alimentar e/ou uso de álcool e drogas para aliviar as frustrações;
  • Alterações e distúrbios na rotina de sono;
  • Dores de cabeça, resfriados constantes, problemas estomacais, intestinais, entre outros.

 

 

Fatores que podem desencadear o Burnout

De acordo com o médico oncologista e cientista Dráuzio Varella, a síndrome se manifesta especialmente em pessoas cuja profissão exige envolvimento interpessoal direto e intenso.

Ou seja, estão mais suscetíveis a desenvolver o transtorno os profissionais das áreas de educação, de saúde, de assistência social, de recursos humanos, agentes penitenciários, bombeiros, policiais e mulheres que enfrentam dupla jornada.

Mas como essa síndrome pode ser desencadeada?

 

  • Falta de controle

 

Alguns profissionais têm problemas no seu desempenho por causa da dificuldade em realizar o trabalho dentro do período da jornada ou pela falta de recursos para investir.

 

 

  • Problemas de hierarquia

 

Quando não há clareza sobre o nível de autoridade dentro de uma equipe, tende a gerar atritos e causar desconforto entre as pessoas

 

 

  • Equipes desestimuladoras

 

Comportamentos constrangedores por colegas de trabalho ou até mesmo chefes excessivamente rigorosos podem causar estresse, o que prejudica a saúde dos trabalhadores.

 

 

  • Extremos de atividade

 

Profissionais que lidam com rotinas monótonas ou intensas demais podem ter necessidade de fazer grandes esforços para se concentrarem nas tarefas, o que os leva à exaustão.

 

 

  • Falta de motivação

 

Pessoas que ficam isoladas no trabalho ou que possuem uma vida pessoal pouco ativa podem se sentir desestimuladas em suas funções.

 

 

  • Distanciamento da família

 

Algumas profissões exigem muito tempo e esforço dos funcionários, fazendo com que se afastem ou não tenham energia para passar momentos com os familiares e amigos.

 

 

Como afastar ou evitar os transtornos da síndrome

Atividade física é uma boa aliada para combater a síndrome

Você já deve ter ouvido falar que o melhor tratamento para doenças ou até mesmo para transtornos é a prevenção. Dessa forma existem diferentes formas de prevenir a síndrome de Burnout e que podem ser feitas com pequenas mudanças de hábitos.

Além disso, de acordo com o Ministério da Saúde, as estratégias podem diminuir o estresse e a pressão no trabalho. Veja como você pode prevenir a síndrome.

  • Defina pequenos objetivos na vida profissional e pessoal;
  • Estabeleça e organize suas prioridades;
  • Limite seu tempo de trabalho;
  • Participe de atividades de lazer com amigos e familiares;
  • Crie uma rotina de sono adequada;
  • Faça atividades que “fujam” à rotina diária, como passear, comer em restaurante ou ir ao cinema;
  • Evite o contato com pessoas “negativas”, especialmente aquelas que reclamam do trabalho ou dos outros;
  • Converse com alguém de confiança sobre o que se está sentindo;
  • Explique a situação para um supervisor da empresa para traçar novas metas;
  • Faça atividades físicas regulares como academia, caminhada, corrida, bicicleta, remo, natação, pilates, meditação;
  • Mantenha uma boa alimentação;
  • Evite consumo de bebidas alcoólicas, tabaco ou outras drogas;
  • Não se automedique nem tome remédios sem prescrição médica;
  • E, ainda, aprenda a dizer não, pois essa é uma boa maneira de prevenir a ansiedade ou o estresse.

Ter consciência do que está acontecendo dentro do ambiente de trabalho já é meio caminho andado. Isso vai ajudar a traçar ações para manter o controle de suas atividades. 

Para ajudar no combate ao estresse, a insônia e até mesmo essa falta de energia por conta da sobrecarga no trabalho, a Vemat possui uma linha completa de chás que vem ao encontro dos sintomas da síndrome de Burnout e que podem ajudar no dia a dia.

É o caso do chá de camomila com hortelã, chá de de flor de maracujá ou até mesmo um chá de melissa que pode ser aliado para quem está sofrendo com o estresse.

Para a insônia, os chás indicados são de capim-cidreira, camomila ou erva-doce. Já para falta de energia no trabalho, os mais indicados são: chá preto com canela, chá mate, chá verde ou chá branco.

Agora que você tem mais conhecimento sobre a síndrome de Burnout, evite chegar aos sintomas ou se já apresentar um quadro com os transtornos, procure ajuda profissional. 

Continue nos acompanhando para mais dicas e assine nossa newsletter. Até a próxima!

Comentários

Este site usa cookies para melhorar e personalizar sua experiência com nossos conteúdos e anúncios. Ao navegar pelo site, você autoriza a Vemat a coletar tais informações e utilizá-las para estas finalidades. Em caso de dúvidas, acesse nossa Política de Cookies.